Spectrum +2: Cabo Scart-RGB c/ som e sem fonte externa

 

Durante algum tempo, a informação que circulava na net era que o cabo RGB para o Spectrum +2 (cinzento) precisava ser igual ao do Spectrum 128k+, mas na realidade não é bem assim.

O Spectrum +2 apresenta na board uns “jumpers” (denominados LK – links), que por defeito, estão configurados para permitir compatibilidade com o 128K+, mas que podem ser alterados de modo a simplificar bastante a construção de um cabo caseiro RGB, dispensando mesmo a necessidade de uma fonte de alimentação externa de 12V (no caso de se usar um televisor sem botão de comutação entre TV e modo AV com sinais RGB) ou de um cabo adicional para o som (que ligaria à ficha sound).

Podem consultar o site do Paul Farrow para mais detalhes sobre este assunto nesta página dedicada ao +2, ou simplesmente observar as imagens em baixo para desvendarem  que o Spectrum +2 pode afinal ter na ficha RGB os 12V e som (ao contrário do 128K+) e que os díodos para obter o BRIGHT das cores já estão presentes na board, e não são necessários no novo cabo que vamos construir.

Concretamente, é preciso trocar dois jumpers na board do +2:

LK1 altera para LK3, passamos a ter +12V no pino 5 da ficha DIN
LK7 altera para LK8, passamos a ter audio-out no pino 3 da ficha DIN

No caso de terem uma board Issue 3 vão encontrar os LK (links) nas seguintes localizações:

No caso de irem usar um monitor RGB especificamente com o Spectrum +2 (por exemplo um commodore 1084S), os 12V não são necessários, mas no caso de ser uma televisão já o caso pode ser diferente.  Se o televisor não tiver algum meio manual que permita accionar o modo AV, é necessário tomar em conta que na ficha SCART existem dois pinos para esse efeito, o pino 8 e 16.

No meu caso, fiz a experiência fazendo a ligação do pino 5 do Spectrum ao pino 8 da ficha Scart, o que faz a “comutação à distância” para o modo AV do televisor.  Em seguida, derivei os 12 V com uma resistência de 330 ohm para o pino 16 da ficha Scart e obtive um sinal de supressão de 2 Volts, suficiente para o televisor passar a aceitar o RGB e ignorar o vídeo composto.

O Paul Farrow sugere utilizar um regulador de voltagem ajustável (LM317LZ) em vez de se fazer a queda de tensão com uma resistência como fiz, o que de facto será preferível.

Ora bem, respeitando as ligações alteradas, e socorrendo-nos do esquema do Paul…

… podem ficar com um cabo semelhante a este que fiz, bastante mais simples do que o para o 128K+.

Fotografia1382

Não se esqueçam de usar cabo blindado (com malha) e se quiserem podem colocar uns filtros de ferrite nas extremidades.

Se estiverem com curiosidade em relação ao pequeno interruptor que coloquei na ficha Scart, é apenas para poder alternar a sincronização entre o sinal de vídeo-composto (CVBS) e a sincronização composta (comp-sync), já que um dos meus monitores recusa-se a aceitar o sinal de CVBS. Por outro lado, o sinal da sincronização composta será, à partida, a melhor opção que podemos utilizar para obter uma boa imagem.

Fotografia1383

Partilha nas redes sociais:

No Comments

Comentário

<< TRANSLATE

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

error: Conteúdo protegido!
Contactos